LULA 2018? DIRETAS JÁ?

O alvo da Operação Lava Jato, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva prepara uma plataforma econômica para apoiar sua pré-candidatura ao Planalto. Se ele for condenado será inelegível, mas não pode esperar para laçar sua candidatura, pois seu partido quer se contrapor com mais vigor ao governo de Michel Temer, lançando uma espécie de "programa nacional de emergência" para o País sair da crise, segundo o Zero Hora.

O ex-presidente e possível candidato baseia sua campanha em defesa de novas eleições diretas e quer pronunciar o quanto antes o seu nome ao Planalto.

O principal ponto da campanha para 2018 será de que o Brasil não vai reduzir o número atual, de 12,9 milhões de desempregados, se não ampliar o crédito para a produção e o consumo (estilo o programa Minha Casa Minha Vida e financiamentos).

Dentre o lançamento de programas novos e políticas para enfrentamento da crise estão à criação de um Fundo de Desenvolvimento e Emprego, reajuste de 20% nos valores do Bolsa Família e aumento real do salário mínimo, além da correção da tabela do Imposto de Renda, com teto de isenção superior ao atual, ou seja, tende a ficar pior do que já está.

Foi com a “sucessora” de Lula, Dilma que enfrentamos a maior crise econômica do País, entretanto, apesar de estar aliada à Lula, eles divergiam em várias questões, a exemplo da liberação de verba para o tal Fundo, já que Dilma não liberou.

Para que Lula possa se candidatar depende de dois fatores que não controla: Lei da Ficha Limpa, ele só poderá ser candidato se não for condenado na segunda instância. Ele hoje é réu em cinco processos, e se condenado, estará inelegível (será que sai o julgamento até 2018, duvido! Será postergado ao máximo) e o segundo fator é sucesso nas reformas promovidas pelo governo, essas referidas acima, que o PT tentará implementar antes mesmo da pré-candidatura, para usar como vantagem. A situação econômica deverá ser o eixo de sua plataforma.

Para ter êxito com a população Lula terá que se posicionar contra mudanças na Previdência Social, contra as reformas nas leis trabalhistas, condenar o teto de gastos públicos, entre outros. Tendo em vista que o índice de desemprego diminuiu no mandato de Lula, este é um prato cheio para o seu “lançamento”, já que a taxa de desemprego está elevadíssima.

 

Maísa Letícia Ceccato – Advogada – e-mail: maisa.ceccato@gmail.com

 

 

0 comentários | Escrever comentário