Sensibilidade!

 

            A minha linda namorada, Polyana, mostrou que não é apenas linda por fora, mas que possui uma beleza interior maior ainda, somada a uma enorme sensibilidade e, diga-se de passagem, a um ótimo português. Obviamente, ver que ela escreve bem e gosta de fazer isto, me faz sentir muito orgulho.

            Em novembro de 2013, muitos de vocês acompanharam no noticiário, a jovem de 15 anos, Bruna Capaverde, veio a falecer após um acidente de carro no qual um motorista alcoolizado atingiu o carro onde ela estava. A fato gerou muita repercussão e a revolta de muitas pessoas, além, é claro, de uma imensa dor aos seus familiares e amigos, o que permanece até hoje.

            Em um trabalho na escola, a Poly escreveu um texto sobre o fato, sendo aplaudida por seus colegas quando o leu. Na semana passada, a professora dela pediu que entrasse em contato com o pai da menina através do Facebook, lhe mostrando o texto, que sintetiza em poucas palavras o que aconteceu com a jovem.

            Ao compartilhar, muitos amigos próximo, familiares e até desconhecidos, comoveram-se com as palavras. Muitas vezes não damos valor a pequenas “obras” que fizemos. O que para nós pode ser pouco, para alguns chega a ser tudo.

            Diante de tantos comentários e curtidas que o texto gerou no Facebook, cedo meu espaço para dividir com vocês as belas palavras que ela produziu.

           

            BRUNA...

 

            Era como qualquer outro dia ou final de semana. Fui convidada para uma festa,a mesma que eu estava ajudando a divulgar, a grande festa na Farms. Eu e minhas amigas estávamos todas empolgadas e radiantes e eu não havia poupado no perfume e no belo vestido... Ah! Clima de festa,  redes sociais bombando! Resolvi tirar uma foto para registrar o quão feliz eu estava naquele dia.    Mas como eu iria imaginar que essa seria a minha última foto? Como eu, Bruna Lopes Capaverde, iria imaginar que essa seria a última lembrança que eu deixaria nesse mundo? Se eu soubesse que aquele seria meu último dia, havia abraçado mais quem eu tanto gosto e certamente não acharia defeito nesse dia...Mas eu não sabia...
            Fomos para a festa e estava tudo combinado, em perfeita ordem. Estávamos cumprindo o ritual de revezamento criado entre as nossas famílias para que  nós fôssemos conduzidas em segurança no ir e vir das baladas. Chegamos à Farms e lá fizemos a festa, nossa festa! Minha última noite,meus últimos sorrisos e momentos... Então aconteceu, não esperava que fosse assim,mas aconteceu...
            Me lembro apenas que vi um clarão e tudo rodando mas depois disso, eu literalmente morri.
E meu presente de 15 anos que não pude usufruir? E o abraço nos meus pequeninos irmãos? E o último beijo que não pude receber do meu pai e de minha mãe? Ah! Como eu queria mais tardes com vocês,amigas queridas... Não tive tempo nem para o Adeus. Não é justo!
            Agora vejo o sofrimento de toda a minha família,e a culpa não foi do pai de minha amiga e sim do outro motorista que estava alcoolizado! Apenas eu morri,minha vida interrompida com apenas 15 anos. Eu tinha planos,sonhos. Eu tinha um futuro!!!
            Meu pai está me honrando,eu sei que está! E quando foi acordado de madrugada por um telefonema correu para verificar a situação,não querendo acreditar, torcendo para que não fosse verdade ,mas infelizmente era eu....

            Então, foi como se de repente uma nuvem cobrisse a lua... e o mar escureceu...Estou olhando por vocês. E agora, pai,mãe,irmãos. Eu, eu  é que sou anjo da guarda de vocês!

0 comentários | Escrever comentário