Amigos leitores do  Observador!!!
 
A partir de hoje estarei ocupando um espaço aqui no nosso jornal, no qual poderei escrever, segundo o meu amigo Vinicius, o que eu quiser – acho que ele acredita no meu bom senso e noção de limites. Grande erro! HAHAHA – Mas enfim, finalmente estou começando um projeto que há muito tempo tenho em minha cabeça, que é o de ter minha própria coluna de jornal, para poder opinar, criticar, satirizar, enfim, expor e dividir meus pensamentos. Agradeço imensamente, a você, Vini, e a seu pai, nosso amigo Bugiu, pela oportunidade e pela confiança.
Acho que hoje, o que posso chamar de minha “estréia”, cabe explicar de forma geral como penso criar e moldar este espaço tão valioso que de agora em diante possuo. Não seguirei aqui tema específico algum. Não ficarei preso ao que “estiver na moda” falar. Sempre respeitarei a todos, mas farei questão de expor minha opinião. Quem me conhece sabe da minha forma direta de agir, pensar e me expressar. E aqui eu não poderei ser diferente. Procurarei, sempre com muito bom humor, dividir com todos minha maneira de ver as coisas. Provavelmente vou incomodar e cornetear as pessoas, principalmente os amigos, e mais ainda, os amigos do time da Azenha. Sim, todos sabem que sou colorado e que aqui também será um espaço para que isto seja demonstrado. Afinal, toda e qualquer corneta inteligente e respeitosa é saudável, e alimenta de maneira grandiosa a eterna rivalidade do maior e melhor futebol do mundo, o gaúcho!!!
Cultura, arte, política, história, esportes, economia, sociologia, música, cinema, teatro, filosofia... Tanta coisa para pensar, falar, opinar e porque não filosofar?! Todos nascem, crescem e com o tempo vão formando sua personalidade. Com ela vem a sua maneira de ver as coisas, vêm suas características, qualidades e defeitos. Todos têm direito de ter uma opinião, de formar uma opinião, de mudar de opinião. Critico, julgo, analiso! Todos fazem isto! Todos opinam sobre tudo e sobre todos. Todos podem fazer isto, mas devem, acima de tudo, respeitar as diferenças. É isto que vou procurar fazer aqui: pensar, analisar, criticar, elogiar, opinar, mas sempre, junto com tudo isto, respeitar. Cito aqui, para retratar um pouco esta minha posição, Friedrich Nietzsche, no livro Genealogia da Moral:
“Não temos o direito de atuar isoladamente em nada: não podemos errar isolados, nem isolados encontrar a verdade. Mas sim, com a necessidade com que uma árvore tem seus frutos, nascem em nós nossas idéias, nossos valores, nossos sins e quês – todos relacionados e relativos uns aos outros, e testemunhas de uma vontade, uma saúde, um terreno, um sol – Se vocês gostarão desses nossos frutos? - Mas que importa isso às árvores? Que importa isso a nós, filósofos?...”
Espero que seja o primeiro de muitos textos que vou escrever aqui. Espero que todos gostem e espero que eu possa sempre acrescentar algo bom no dia de vocês, amigos leitores.

Um abraço deste que, com enorme prazer, lhes escreve, Tocha!!!

0 comentários | Escrever comentário