Antes de deixar o cargo, o procurador-geral Rodrigo Janot pretende apresentar as denúncias contra dois dos ministros mais próximos de Michel Temer: Eliseu Padilha e Moreira Franco; ambos devem ser denunciados por corrupção passiva nos escândalos da Odebrecht; Temer havia prometido afastar temporariamente todos os ministros que fossem denunciados e, de forma definitiva, aqueles que tivessem suas denúncias acolhidas pelo Supremo Tribunal Federal; no entanto, a tendência é que, agora, depois de também ser denunciado e torrar R$ 13,4 bilhões em recursos públicos para se safar, ele quebre a promessa e mantenha nos cargos os ministros denunciados

 

6 DE AGOSTO DE 2017 ÀS 10:29 /

247 – Antes de deixar o cargo, o procurador-geral Rodrigo Janot pretende apresentar as denúncias contra dois dos ministros mais próximos de Michel Temer: Eliseu Padilha e Moreira Franco.

Ambos devem ser denunciados por corrupção passiva nos escândalos da Odebrecht.

Temer havia prometido afastar temporariamente todos os ministros que fossem denunciados e, de forma definitiva, aqueles que tivessem suas denúncias acolhidas pelo Supremo Tribunal Federal.

No entanto, a tendência é que, agora, depois de também ser denunciado e torrar R$ 13,4 bilhões em recursos públicos para se safar, ele quebre a promessa e mantenha nos cargos os ministros denunciados.

Leia, abaixo, nota publicada na coluna de Lauro Jardim:

Rodrigo Janot vai denunciar Eliseu Padilha (na foto, à esquerda) e Moreira Franco antes de deixar o posto de Procurador-Geral da República, em 17 de setembro.

A propósito, será que Temer vai cumprir a promessa de afastar do ministério quem for denunciado?

0 comentários | Escrever comentário