Agora, todos os alunos que forem formados no Ensino Médio por alguma instituição da Rede Sinodal podem estudar com mais facilidade na Europa. Isso porque foi assinado na tarde de ontem um acordo de cooperação entre a rede e o Instituto Politécnico de Leiria, de Portugal. A solenidade, que aconteceu no Colégio Sinodal, em São Leopoldo, contou com a presença do presidente da instituição internacional, Nuno Mangas, que ressaltou a escolha da Rede Sinodal como parceira. “Esta é a primeira instituição do Rio Grande do Sul que escolhemos, justamente por sermos muito seletivos”, afirma ele, que também é presidente do conselho coordenador dos institutos superiores politécnicos de Portugal. “A Rede Sinodal,  obtém grandes resultados a níveis estudantis. Temos como base o próprio Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), em que as escolas da Rede aparecem sempre em destaque”, aponta.

O diretor-executivo da Rede Sinodal de Educação, Prof. Ruben Werner Goldmeyer, conta que o processo de negociação começou há três meses. “Essa é mais uma chance para que os nossos alunos consigam buscar um ensino superior de qualidade. Hoje eles já se colocam em boas colocações nas melhores universidades da região, no entanto, é uma forma de facilitar que cheguem mais longe ainda”, comemora. “Além disso, é diferente o aluno ir por conta para uma universidade no exterior e ir por ter sido nosso aluno. Isso é uma garantia de qualidade. Ele vai chegar lá e vai ter um elo já com a instituição”, salienta.

A parceria prevê a facilidade de acesso para os alunos egressos da Rede Sinodal, independe do ano em que se formaram. Dentro das vagas internacionais, haverá uma cota para os estudantes brasileiros da rede. Para se candidatar é preciso apresentar a nota do Enem, que deve ter sido realizado em nos últimos três anos. A nota de corte é 500 pontos, porém, Mangas salienta que o processo seletivo é sempre para os alunos com maiores pontuações. O instituto possui atualmente cerca de mil estudantes estrangeiros, que não pertencem a nenhum país da União Europeia. Destes, 20% são brasileiros, sendo a maior nacionalidade presente. Há 44 cursos de graduação em cinco áreas: tecnologia e gestão, saúde, educação e ciências sociais, tecnologia do mar e artes e designe. Todos os cursos são reconhecidos pela União Europeia. Além disso, o instituto ainda oferece mestrado. O processo seletivo começa sempre no início do ano e as aulas em setembro.

 

Opções de bolsa

Além do ingresso, os estudantes podem concorrer a bolsas de estudo por mérito. Mangas explica que, novamente, é utilizada a nota do Enem e que, a partir de 700 pontos, já é possível se candidatar. “Nós priorizamos ter os melhores alunos e valorizamos isso. Isso quer dizer que se um aluno é bom, ele merece ter desconto em seu curso”, afirma. Além da bolsa de 50% oferecida para quem tiver as melhores notas, ainda é possível concorrer por uma bolsa social. Informações: www.ipleiria.pt.

0 comentários | Escrever comentário