A estrutura ligará Porto Xavier, na Fronteira Noroeste, e San Javier, na Argentina

A travessia no rio Uruguai em Porto Xavier atualmente é feita com balsa | Foto: Karin Schmidt / Divulgação / CP

A Associação dos Municípios das Missões (AMM) intensifica força-tarefa para garantir a aplicabilidade de R$ 81 milhões, previstos no orçamento da União, para a construção da ponte internacional que ligará os municípios de Porto Xavier, na Fronteira Noroeste, e San Javier, da província da Misiones, na Argentina. A região tem até o final de 2018 para empenhar o recurso, que foi definido em votação na Câmara dos Deputados, em outubro passado.

Ovidio Kaiser, interlocutor da AMM e coordenador da Comissão Pró-Ponte, diz que as ações estão voltadas para a elaboração do Anteprojeto da Obra. Ele revela que os trâmites estão em fase avançada, restando a Licença Ambiental, que será emitida pelo Ibama, e é esperada para este mês. A entidade prevê que até final de abril, início de maio, o processo esteja concluído.

 

A próxima etapa é o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) abrir a licitação para contratação de empresa que fará o projeto definitivo e a construção da ponte, pelo Regime Diferenciado de Contratação (RDC). O projeto será baseado no anteprojeto, que dá as premissas básicas para a construção, como localização e dimensões da ponte e do rio Uruguai. O presidente da AMM, Brasil Antonio Sartori, diz que o fato de a mesma licitação envolver projeto e obra, garante agilidade no processo. Ele explica que paralelo a estas atividades, ocorrem ações de relações diplomáticas com a Argentina. Como a obra é binacional, precisa de envolvimento dos dois governos.

 

Lideranças da região buscam aproximação com prefeitos de cidades da província de Misiones. No mês de janeiro, uma comitiva visitou Misiones, com o objetivo de mobilizar a população com a causa da ponte internacional. “Nesta viagem para a Argentina explicamos para lideranças e imprensa local o porquê de Porto Xavier receber a ponte internacional. Não foi uma escolha de local, mas uma região que se mobilizou e conquistou o recurso. Temos uma estratégia, e a aprovação do recurso é o maior argumento” afirma o presidente da associação.

 

Kaiser diz que acompanha há 41 anos o projeto de uma ponte internacional na região, e que nunca se teve tão perto da concretização. “Vamos vencer neste ano os entraves burocráticos com muito trabalho. Em 2019, teremos o começo da construção da ponte internacional”, aposta. 

 

correio do povo///

0 comentários | Escrever comentário