O grupo Correios pretende contribuir com o aumento do desemprego no Brasil ao declarar que irá fechar 513 agências e demitir 5.300 trabalhadores; O ex-presidente da Estatal Guilherme Campos afirma que o número de demissões poderá ser ainda maior, caso a empresa não consiga arcar com as dívidas trabalhistas; A estatal pretende economizar R$ 190 milhões com a ação

 

5 DE MAIO DE 2018 ÀS 11:30 //

 

247 - O grupo Correios pretende intensificar a taxa de desemprego no Brasil ao declarar que irá fechar 513 agências e demitir 5.300 trabalhadores, segundo informações da colunista Andreza Matais, do Estadão. A proposta foi aprovada em fevereiro pela comissão diretora da empresa, mas mantida em sigilo há meses. 

Em Minas Gerais, das 20 agências mais rentáveis, 14 encerrarão suas atividades. Já em São Paulo, 167 agências fecharão as portas. 

O ex-presidente da Estatal Guilherme Campos afirma que o número de demissões poderá ser ainda maior, caso a empresa não consiga arcar com as dividas trabalhistas.  O grupo pretende economizar R$ 190 milhões com a ação. 

0 comentários | Escrever comentário