O triplex atribuído ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva continua a gerar problemas para a justiça, informa a jornalista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo. O leilão do imóvel está encalhado e sem previsão de desenlace; até o fim da semana passada, nenhum lance foi feito pelo imóvel, cujo valor foi estipulado em R$ 2,2 milhões; o site ‘Canal Judicial’ dá informações detalhadas sobre a situação jurídica do apartamento: o imóvel está “registrado em nome da OAS Empreendimentos” e suas dívidas de condomínio são de R$ 47 mil, “que serão de responsabilidade do arrematante”

247 – O triplex atribuído ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva continua a gerar problemas para a justiça, informa a jornalista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo. O leilão do imóvel está encalhado e sem previsão de desenlace. Até o fim da semana passada, nenhum lance foi feito pelo imóvel, cujo valor foi estipulado em R$ 2,2 milhões. O site ‘Canal Judicial’ dá informações detalhadas sobre a situação jurídica do apartamento: o imóvel está “registrado em nome da OAS Empreendimentos” e suas dívidas de condomínio são de R$ 47 mil, “que serão de responsabilidade do arrematante”.

“A página afirma que os móveis do tríplex como armários e camas estão “em bom estado de conservação”. Mas não pode garantir o mesmo sobre o elevador, já que “a luz da unidade não está ligada”. Cerca de 32 mil pessoas já visitaram o site em que o tríplex está sendo anunciado, sem oficializar, no entanto, interesse por ele.

Outro leilão determinado por Moro, o dos bens de José Dirceu, também fracassou na semana passada. A confusão no caso é até maior que a do tríplex: tanto o Banco do Brasil quanto a Receita Federal dizem ter direitos sobre os imóveis ou dinheiro a receber do petista que deveriam ser garantidos por eles.”

Leia mais aqui.

0 comentários | Escrever comentário