A pesquisa sobre a intenção de votos para a Presidência da República, divulgada nesta segunda-feira pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT), traz um dado ao mesmo tempo surpreen-dente e perturbador.
Na pesquisa que inclui Lula (PT), ele fica disparado em primeiro, com 32,4%, e o segundo, Jair Bolsonaro (PSL), tem metade – 16,7%; seguidos de Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT) e Ge-raldo Alckmin (PSDB) em terceiro, quarto e quinto lugares. Nulos e brancos somaram 18% e indecisos 8,7%.
Sem Lula na lista, Bolsonaro salta para primeiro, mas cresce apenas 2%, seguido por Marina e Ciro. Mas aí vem o número surpreendente: 29,8% votam nulo ou branco e 16% ficam indecisos.
Isso mostra que, com Lula candidato, nulos e indecisos somam 25% e, sem ele, esse número quase dobra, vai a quase metade dos eleitores (45% ou 64,8 milhões de pessoas).
O próximo presidente poderá, desse modo, ser eleito por apenas metade do eleitorado, enquanto a outra irá silenciar. Será o presidente de metade do país e não de todo o Brasil.
Outro aspecto da pesquisa de intenção de voto CNT/MDA mostra um aumento da rejeição ao pré-candidato do PSDB, Geraldo Alckmin. O percentual de entrevistados que declarou que não votaria “de jeito nenhum” no ex-governador de São Paulo passou de 50,7% em março para 55,9%em maio.
Dentre os entrevistados, 46,4% declararam que não votariam em Ciro. No caso de Marina, a rejeição chega a 56,5%. O presidente Michel Temer chega aos 87,8% de rejeição como candidato.

 

Monitor Digital///

0 comentários | Escrever comentário