Segundo levantamento feito pela Confederação Brasileira dos Aposentados, Pensionistas e Idosos (Cobap) com dados da Previdência Social gerida pelo INSS, atualmente apenas um terço dos aposentados recebem acima do salário mínimo, e há anos não recebem aumento real.

Existem hoje 34,63 milhões de beneficiários do INSS, dos quais 22,41 milhões recebem 1 salário mínimo, o que representa 64,70% do total, e outros 11,45 milhões ganham acima do salário mínimo, o que representa 33% do todo.

“A política de aumento real exclusivamente para o salário mínimo vem prejudicando, portanto, 11,45 milhões de aposentados e pensionistas”, denuncia a Cobap.

Esses dados revelam que, na verdade, a idéia que o governo tentou emplacar, de que os aposentados são privilegiados, não corresponde à realidade. O discurso de que a Previdência está quebrada e, portanto, é preciso “economizar” é falacioso: além de juntar o regime geral (a quem estão submetidos os trabalhadores da iniciativa privada) com o regime próprio (dos servidores públicos), e desconsiderar o financiamento que deve vir do governo, eles ainda distribuem isenções fiscais em mais de R$ 50 bilhões e não cobram dos devedores da previdência – permitindo que a dívida chegasse aos atuais R$ 427,73 bilhões.

É em cima deste tipo de falácias que tentam emplacar a reforma da previdência, à custa de matar de fome milhares de aposentados, pois a grande maioria recebe apenas o mínimo, e os que recebem acima disso podem muito em breve ter os seus salários igualados aos mais baixos.

Com a situação atual, a Cobap aponta que “a cada ano que passa a faixa do salário mínimo das aposentadorias e pensões do INSS vem crescendo e, num futuro próximo, pode aumentar a migração e tornar a Previdência gerida pelo INSS como fonte pagadora de aposentadorias e pensões exclusivamente no valor do salário mínimo. É preciso lutar contra isso”.

“O aumento real discriminado força que centenas de milhares de aposentados e pensionistas caiam de faixa salarial ano após ano até chegar no valor do salário mínimo, e aí permanecer”, aponta a Cobap.
“A Cobap sempre foi a favor do aumento real para todos os aposentados e pensionistas e sempre denunciou a migração de faixa salarial para baixo dos que ganham acima do salário mínimo”, denuncia a entidade.

 

hora do povo///

0 comentários | Escrever comentário