"A decisão do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, de exonerar todo mundo para "despetizar" causa perplexidade porque o governo sucede o MDB, de Michel Temer, e não o PT. Os exonerados da Casa Civil estavam subordinados ao ministro Eliseu Padilha. Das duas uma: ou Onyx fala em despetizar como pretexto para demitir todo mundo ou Padilha manteve assessores independentemente da posição partidária", observa a colunista do Globo Miriam Leitão

3 DE JANEIRO DE 2019 ÀS 21:58 //

247 - A jornalista Miriam Leitão questiona, em coluna no Globo, o ministro Onyx Lorenzoni, da Casa Civil, sobre seu discurso de "despetização" ao demitir 300 servidores na transição de governo. "A decisão do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, de exonerar todo mundo para 'despetizar' causa perplexidade porque o governo sucede o MDB, de Michel Temer, e não o PT. Os exonerados da Casa Civil estavam subordinados ao ministro Eliseu Padilha", diz a colunista.

"Das duas uma: ou Onyx fala em despetizar como pretexto para demitir todo mundo ou Padilha manteve assessores independentemente da posição partidária", observa Miriam Leitão. 

"Onyx ao mesmo tempo em que toma esse tipo de medida fala em pacto político nacional com a oposição para a aprovação das reformas. Será difícil ter qualquer tipo de diálogo com partidos de outros campos, após esse tipo de decisão", comenta ainda a jornalista.

0 comentários | Escrever comentário