Encontro Nacional de Anos iniciais da Rede Sinodal terá participação
de professores do Ipiranga

Nesta sexta-feira e sábado, 24 e 25 de maio, a professora Giovana Fornari e o
professor Mateus Franke, do Colégio Ipiranga, participarão do Encontro
Nacional dos Anos Iniciais, promovido pela Rede Sinodal de Educação, que terá
lugar no Colégio Rui Barbosa de Carazinho, cujo tema será “Olhando pelos Anos
Iniciais em diferentes contextos”.
Na manhã do primeiro dia, a Prof.ª Mestre Isabel Parolin falará sobre “As
dimensões da aprendizagem e os desafios de ensinar/aprender na sociedade
contemporânea”.
Ela afirmará que a compreensão da aprendizagem viabiliza um olhar qualificado
para o sujeito que aprende, pois entender a dinâmica sociocultural
contemporânea, desvelar as diferentes dimensões em que deve acontecer o
ensino/aprendizagem ou a aprendizagem/ensino e desenvolver consciência são
o caminho para a formação integral e integrada ao contexto socioafetivo de
cada um dos componentes do universo escolar.
À tarde, o Prof. Doutorando Ailton Dias de Melo abordará o tema “Olhar além
do que se pode ver”, ressaltando que, por essência ou comodidade, o ser
humano prefere se prender a referências estabelecidas a lidar com a
redefinição de suas próprias crenças. Isso faz com que nos tornemos
prisioneiros das mesmas coisas, fiquemos impossibilitados de dialogar com o
mundo e deixemos de ser agentes de transformação.
Ele desafiará os participantes a ousar uma mudança, que deve começar pelo
olhar, processo que pode ser facilitado pela parceria 'arte e educação'. Segundo
ele, a relação entre a educação e a arte torna possível tratar com alegria e
leveza alguns temas importantes e complexos da cultura e da existência.
A palestrante de sábado será da Psicanalista e Mestre em Educação, Vivian
Nolasco, que trará para objeto de estudo o tema “O fino bordado entre o
sujeito psíquico e o sujeito epistêmico - O percorrido do desenvolvimento
infantil à constituição da inteligência”.
Ela vai percorrer as operações fundantes da estruturação psíquica precoce, para
reconhecer como nasce um sujeito e como, a partir dessa estruturação, brotam
as possibilidades e os entraves para constituição do sujeito epistêmico.
O encontro encerra ao meio-dia de sábado com um almoço de
confraternização.

 

Carlos Rudolfo Kunde - Assessoria de Imprensa

0 comentários | Escrever comentário