Doria é acusado de gastos irregulares com publicidade quando prefeito da capital. O pedido dos promotores é de inelegibilidade por oito anos.

Jornal GGN – Hoje, dia 8, terça-feira, o Tribunal Regional Eleitoral de SP (TER-SP) julga um processo onde João Doria, do PSDB e governador do estado, é acusado de gastos irregulares com publicidade quando prefeito da capital. O pedido dos promotores é de inelegibilidade por oito anos. As informações são de Monica Bergamo, em sua coluna na Folha.

Segundo a denúncia, Doria passou por cima da regra que diz que, em ano eleitoral, o administrador não pode gastar mais com propaganda do que a média dos três anos anteriores. Doria gastou 122% mais, ou seja, dispendeu com propaganda R$ 73 milhões. De acordo com o Ministério Público, essas campanhas extrapolaram o dever de informação e foram ‘eivadas de promoção social’.

A prefeitura gastou, neste ano pré-eleitoral, R$ 19 milhões com prestação de contas e R$ 2,9 milhões com ações de combate à dengue.

Bruno Covas, como sucessor de Doria, também foi incluído na ação.

Os advogados de Doria, em sua defesa, dizem duas coisas interessantes. Uma é que parte das despesas foi herdada de 2017. E o segundo fato foi a apresentação de pesquisa que mostra que o índice de rejeição a Doria crescia entre os que viam a publicidade e que o então prefeito perdeu para Márcio França na capital.

0 comentários | Escrever comentário