Na primeira final em jogo único, Rubro-Negro sai atrás, encontra muita dificuldade argentinos, mas Gabigol aparece no fim, vira para 2 a 1 com dois gols e desbanca atual campeão

 

Gabigol apareceu nos minutos finais para garantir o título da Libertadores para o Flamengo (Alexandre Vidal / Flamengo)

 

 

Campeão da Copa Libertadores em 1981, o Flamengo finalmente conquistou seu bicampeonato do torneio continental. De forma dramática, o time brasileiro virou sobre o River Plate nos acréscimos do segundo tempo, com dois gols do atacante Gabriel, e venceu por 2 a 1 no Estádio Monumental de Lima, no Peru, neste sábado (23). O atacante colombiano Rafael Borré fez o gol do time argentino.

O jogo começou com protagonismo ofensivo do Flamengo, que tomou a iniciativa e marcou presença no campo adversário. O River, porém, manteve a linha de defesa sólida e resistiu à pressão nos minutos iniciais. Bem na marcação e objetivo no contra-ataque, o time argentino foi traiçoeiro e surpreendeu aos 15 minutos:

Nacho Fernández cruzou rasteiro da direita, Arão e Gerson não cortaram e Borré apareceu livre para bater o goleiro Diego Alves. Depois do 1 a 0, o Flamengo seguiu com mais posse de bola, mas o River manteve a solidez defensiva e passou a levar mais perigo, criando boa chance com De La Cruz, que não concluiu. Já o time brasileiro não conseguia ameaçar Armani, que via seus companheiros subirem a marcação. A partir dos 20 minutos, a partida ficou mais aberta, mas sem grandes chances, exceto perigoso chute de Palacios de fora da área. No segundo tempo, o Flamengo voltou com mais iniciativa e mostrou potencial com chute de Gabriel, de fora da área, aos dois minutos.

O River respondeu na mesma moeda, novamente com Palacios, sem sucesso. Aos 11, o time brasileiro teve sua melhor chance. Na área, Bruno Henrique cruzou rasteiro e Arrascaeta furou, mas a zaga não conseguiu tirar. Na sequência, Gabriel chutou em cima de De La Cruz e, no rebote, Éverton Ribeiro parou em Armani. Pouco depois, Gerson acusou dores e foi substituído por Diego.

E o River voltou a assustar: aos 21, Suárez recebeu dentro da área, livre, e cruzou rasteiro. Marí se esticou todo para cortar o perigo. Logo após, chute perigoso de Fernández. A partida seguiu tensa e o Flamengo voltou a ter uma boa oportunidade aos 30 minutos: Diego tocou para Gabriel, que rolou para Éverton Ribeiro cruzar em direção a Arrascaeta, que errou o voleio.

No rebote, Diego isolou. Nos minutos finais, o time brasileiro foi para o 'abafa' e levou perigo com Gabriel, que teve bom passe para Bruno Henrique interceptado. Corte providencial para o River. O time argentino, porém, sucumbiria logo na sequência. Aos 43, Bruno Henrique achou Arrascaeta dentro da área. O uruguaio cruzou rasteiro e achou Gabriel livre.

O atacante só teve o trabalho de empurrar a bola para o fundo das rede. E ele não parou por aí. Três minutos depois, após lançamento, o camisa nove levou a melhor sobre o zagueiro Pinola e soltou a bomba de pé esquerdo para virar o jogo. Gabriel ainda seria expulso em confusão no fim da partida, mas isso não impediu o título dramático do Flamengo, campeão da Libertadores 38 anos depois.

FICHA TÉCNICA: FLAMENGO 2 x 1 RIVER PLATE

 

FLAMENGO - Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Arão (Vitinho) e Gerson (Diego); Éverton Ribeiro, Arrascaeta e Bruno Henrique; Gabriel. Técnico: Jorge Jesus.

 

RIVER PLATE - Franco Armani; Montiel, Martínez Quarta, Pinola e Casco (Paulo Díaz); Enzo Pérez, Nacho Fernández (Julián Álvarez), Palacios e De La Cruz; Borre (Lucas Pratto) e Suárez. Técnico: Marcelo Gallardo.

 

GOLS - Borré, aos 14 minutos do primeiro tempo. Gabriel, aos 43 e aos 46 minutos do segundo tempo.

 

CARTÕES AMARELOS - Casco, Suárez e Pérez (River Plate); Marí e Rafinha (Flamengo). CARTÕES VERMELHOS - Palacios (River) e Gabriel (Flamengo). ÁRBITRO - Roberto Tobar (CHI/Fifa). RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

 

Agência Estado/dom total///

0 comentários | Escrever comentário